Archive for the 'Fico p*to…' Category

A febre dos videocasts


Sensualizando no meu videocast

Ultimamente, vossa senhoria tem presenciado algumas pessoas expondo suas opiniões em vídeos no YouTube.

Posso afirmar que a maioria está querendo virar webcelebridade. (existe isso? Senão, neologismo mode: on.) É mesmo. Para e pensa comigo.

Essas pessoas escolhem temas que estão de certa forma emergindo entre os outros com um sentimento de indignação (Cine, colírios, Restart, Justin Bieber,  Luan Santana, Fiuk, Malhação, Capricho, coloridos etc.) para que o resto dos campeões pensem: “pô, olha lá, puta de um cara super inteligente, legal e humilde. Meu brother! Woohoo!”

Fazem dramatização artística frente à camera. É um festival de mexe-mexe com a sobrancelha sem fim. Editam com esmero mil e renderizam em 720p. Fazem até jeitão de voz de comediante de stand up. Alguns vão além e se rotulam como humoristas de internet. É como se fosse um teste de ator pra oficina da Globo. “Hey, Wolf Maia! Pega na minha interpretação digna de Oscar!”.

E o capricho na aparência para aparecer no seu monitor, caro leitor? Gelzinho, óculos escuro, camisa legalzinha. Alguns até “sensualizam” durante o vídeo.

E o melhor de tudo, no final, fazem um JOGO DO ADD com quem está assistindo:

“Oi! Se você gostou do vídeo, entre no meu blog, dá um follow no twitter,  RT os meus tweets, me inclua no follow friday, me coloca numa lista cool, me curte no facebook, entra na minha comunidade do orkut, se inscreva no link que estou apontando, clique em “gostei” que se encontra aqui embaixo, me mande uma carta, fale de mim pro seu vizinho, ME DÊ ATENÇÃO, POR FAVOR! :(“

Oras, fazer um vídeo em que a última preocupação é o tema e o foco  principal é conseguir ser relevante na internet? Por favor, mais coerência nisso aí.

Anúncios

Razões pela qual eu não gosto de futebol


Antes de escrever, já aviso:

1 – Antes de tacar pedras, leia o post INTEIRO.

2 – Estou completamente imune a comentários do tipo ofensivo. Esses serão barrados na hora da moderação.


Já dizia o meu ex-professor de Física: “Futebol não presta. Futebol se resume a vinte e dois jogadores correndo atrás de uma bola. Futebol só dá homem. E homem, é coisa que a gente não quer.”
No dia eu ri e achei a coisa mais certa. O que eu ganharia ao assistir futebol? NADA! Aprenderia a ‘rica’ arte de se detectar um impedimento, um pênalti? Não iria acrescentar nada na minha vida.
Futebol só presta para quem joga, pelos benefícios da atividade física REGULAR (não me refiro aos peladeiros de final de semana, até porque, para eles, jogar futebol apresenta um risco eminente à saúde) e também pelos jogadores profissionais que ganham milhares de reais enquanto os torcedores perdem 90 minutos de sua vida com a bunda na cadeira idolatrando um time como se fosse um Deus.
Vou mostrar os motivos pelos quais eu não gosto de futebol.

1 – Fanatismo

A coisa que me deixa mais revoltado na vida é o tal do fanatismo. Até mesmo fora do futebol. Não entendo o porquê das pessoas matarem e morrerem por um time que não dá nada a elas. Não entendo o sentido duma torcida que se diz ‘organizada’ e que promove apologia ao roubo, às drogas e ao assassinato. Torcidas pseudo-organizadas deveriam ser extintas. Não entendo o chororô descontrolado dos torcedores ao saberem que o time caiu pra segunda divisão. Parece que o time é a mãe de cada um e que eles estão consumando o velório da dita cuja.

2 – Violência

O futebol promove a violência. Tanto dentro do gramado, quanto nas arquibancadas ou fora do estádio. Mais uma vez não compreendo o motivo de uma briga por uma instituição suja e ridícula. Todos os torcedores parecem animais famintos, matando para defender seu pedaço de carne.

Lembra das sazonais mortes de torcedores que aparecem no jornal? Pois é. A mãe, coitada, toda indignada, dizendo que o filho era uma pessoa de bem, que não fazia mal à ninguém (isso estrofado, dá até um poema. Que tocante!). Na verdade, o filho, às vezes, tinha culpa no cartório na mesma proporção do assassino.

Os fanáticos não se contentam com pouco. Um acusa o adversário de viado, outro de corno, outro de mal pagador, de cachaceiro, de maconheiro, de filho da pluta e outras espécies de xingamento. Ou seja, no final tudo vira um entrudo. E os entrudeiros, com PhD em bandalheira.

3 – Futebol formando gerações

Todos, principalmente o governo, veem no futebol um meio de formação de caráter. Para mim, eles precisam de um ‘oftalmopsiquiatrista’ urgentemente. A formação de caráter que o futebol promove resulta numa geração pobre de espírito e cultura. Não vê os boleiros? A única coisa que eles sabem é tirar foto olhando pra lugar nenhum mais que forçadamente e fazer hang loose em frente ao espelho. Não vê o Adriano? Chega nos lugares se proclamando o verdadeiro imperador da república. O futebol forma pessoas egocêntricas. Cada jogador pensa que é melhor que o outro, que Deus apontou pra ele e disse “você é o cara”. Todo dia um jogador dá entrevista, dizendo a mesma ladainha. O que muda são os erros de concordância, de pronúncia das palavras etc. Enfim, um pobrema mais maior que todos os outros.

4 – A sujeira do futebol brasileiro

Quem assiste futebol financia a riqueza alheia. Todos dão sua singela contribuição para as federações estaduais se enriquecerem. Enquanto os chefões estão num conforto de um palacete, assistindo TV à satélite num plasma de última geração, os pobres estão se remoendo por dentro esperando a hora do futebol e ajeitando o bombril na antena da TV de 14″. Não vê o Edilson Pereira de Carvalho? Pois é!

Lição do Titio Matheus: Só ligue pra futebol se ele te dá algum retorno financeiro. Você gosta de futebol? Ótimo! Seja jogador, dono de TV, presidente da CBF ou de um time de fudebol, árbitro corrupto. Mas antes, esteja ciente que a sua profissão relacionada ao mundo da bola dê dinheiro! Caso contrário, você estará nutrindo um amor não correspondido.

Para você ter uma suave noção do problema, assista esse comercial da Skol, falando dos torcedores:

“Boa noite.”

Spoiler da Malhação pelos próximos 100 anos!

Atenção, adolescentes que perdem o seu tempo em frente à tv assistindo coisa que não presta vidrados em Malhação! A Red Grobo antecipou todos os roteiros da novelinha (novelINHA mesmo! Hahahaha!) das 17:00 pelos próximos 100 anos!

Segundo Bahuan Gandhi, assessor de imprensa e roteirista de Malhação, os próximos 100 anos terão “Novos lances e novas histórias, com temas que levarão a galera jovem a ficar coladona na TV!”.  Confira agora o roteiro publicado por Bahuan:

“Malhação – 100 próximas temporadas:

– A história girará em torno de uma menininha comportada, justa, digna e rica/pobre. Ela se apaixonará por um menino também de bom caráter e que não enxerga as maldades em volta dele mesmo. Tudo isso porque uma outra menina, má, inescrupulosa, invejosa e ambiciosa fará de tudo pra estragar o lindo romance dos dois. A história decorrerá exatamente nessa mesma ordem (ou não, quem sabe os outros roteiristas tenham uma grande ideia e mudem 1% da história), durante todos os 100 anos:

– A mocinha conhecerá o garoto boa pinta. Será amor à primeira vista. Os dois tem uma relação amorosa até…

– A vilã júnior perceber e mostrar suas garrinhas de fora. Ela bolará um plano bem manjado, o que resultará…

– Num rompimento do galã com a mocinha. Logo após o término da relação de conto de fadas, o galã é enfeitiçado pela vilã, fazendo um amor ‘bandido’ brotar não sei de onde.

– O amor entre o galã e a megera da trama continua por um tempo, até os dois começarem a se estranhar e o galã (como um corno) ficar sendo o último a saber das trapaças da megerinha.

– Depois da descoberta, passa-se umas três semanas e o casal mocinho-mocinha volta às pazes, tudo fica bem e eles são felizes para sempre.

– Além dessa história, serão abordados outros temas em segundo plano como camisinha, filhos na adolescência, problemas de aparência e etc.

– As bandas de rock continuam, dessa vez com uma referência mais emo. Eles vão fazer sucesso e shows para todos do colégio.

– Malhação também continua desempenhando o seu papel puritano. Todos da escola de mentirinha não falam palavrão e tomam somente suco e sanduíches naturebas.

Bahuan Gandhi
Roteirista de Malhação”

Síndrome da canonização post mortem

Eu sempre analisei isso. Não só quando alguém comum morria, mas tambémquando pessoas “famosas” morrem. Tudo começou com o João Hélio: Era taxado de anjinho. Depois foi Isabella Nardoni: A estrelinha. Agora que a Eloá morre eles estão dando o sobrenome de anjo também. Eu vi um vídeo no youtube: “Eloá: Mais um anjo vai pro céu”. O criador do vídeo nem devia saber quem era a pobre da menina. E se ela foi uma diabinha em Terra? Se ela aprontava todas (como cornear o FDP do Lindemberg)? Se ela desrespeitava o pai, a mãe e todo mundo? Só porque a menina morreu ela vira um santo assim, repentinamente? É assim com muita gente. Pessoas que viravam as costas e distribuíam ódio e discórdia pra outros, choram uma caixa d’água no caixão e dizendo: “Me perdoaaaa!! Me leva junto!”. Falsidade ou arrependimento não vem ao caso. O que não podemos fazer é canonizar um diabo ou uma pesso aque a gente nem conhece depois que morre. Sejamos francos com os outros e com nós mesmos.

A música formando o futuro da nação

Ontem aqui no bairro tinha uma festa para as crianças. A festa deve ter começado lá pras 10:00 e terminado umas 19:00. Durante todo esse tempo, uma mulher com voz de taquara rachada gritava num microfone (acho que ela queria que o som atingisse os bairros adjacentes). A equipe de organização da festa mostrou-se muito competente, ao tocar músicas de cunho amplamente educativo como: Funk da Mulher Melancia, Dança do Créu, Funk do Titanic, Dança do quadrado e etc. Eu tive que tomar um caixa inteira de Dramin.

Parabéns, povo brasileiro! Desse jeito formaremos um Brasil maravilhoso, cheio de pessoas que fazem apologia à bandidagem e à prostituição, além de se preocuparem com p***a nenhuma!

Ééééééééééééééééééééééééééééé do BRASIL!

UPDATE

Um caso interessante e verídico:

“Era uma vez uma vovó jovem passeando com seus netinhos jovens de carro pela cidade. O sinal fecha e na calçada se encontra um casal de cachorros se copulando.

Um dos netinhos aponta para os cães e se dirige à vovó jovem:
-Alá, vovó, os cachorrinhos estão dançando créu! Créu créu créu!!”

Ponto pro fim do mundo! O LHC espera por nós!

A carta do “Senhor”

Já faz alguns dias que recebi aqui em minha casa uma carta de político (coisa normal de se receber em Sete Lagoas). A carta pedia voto a um candidato a vereador. Pastor.

Esse tal pastor firma um trato com o leitor da carta de criar uma emissora de televisão com programação 100% evangélica cristã. “Um meio de comunicação tão eficiente e ágil como a televisão, que alcança inúmeras pessoas […] irá trazer inúmeros benefícios para o nosso município. […] Para que possamos colocar a NOME DA EMISSORA DE TV em funcionamento precisamos do seu apoio e do seu voto, portanto no dia 05/10, confirme seu voto no NOME DO PASTOR e no nosso candidato a prefeito NOME DO CANDIDATO A PREFEITO”

Quando eu acabei de ler o conteúdo da carta só me veio uma pessoa na cabeça:

Inflando a soberba e o ego alheio

Hoje na hora do recreio, estava eu cruzando o pátio da minha nova escola, quando me deparo com uma multidão de gente e um cartaz com os dizeres mais ou menos assim “Os 5 homens e as 5 mulheres mais bonitas do colégio”.

Dei a notícia aos meus colegas de sala antigos (da outra escola). Eu iria votar, imagina se eu ia perder uma coisa tão banal e ridícula dessas? Além do mais, seria uma chance imperdível de eu exercitar meu sarcasmo (sarcasmo esse justíssimo).

Cheguei até a mesa. Me senti numa verdadeira eleição de grêmio estudantil. Cédulas rosas para votar nas mulheres, cédulas azuis para votar nos homens (os homens só podiam votar nas mulheres e as mulheres, conseqüentemente, só podiam votar nos homens). Duas urnas encapadas em papel craft com total esmero. Em cada boca de urna, a cor rosa e azul. Cada pessoa que votava tinha seu nome marcado. Lista de chamadas de todas as séries e salas estavam disponíveis para consulta. Uma “eleição” de dar inveja a qualquer outra eleição séria.

Peguei a cédula e a caneta e escrevi o nome de uma aluna com o máximo cuidado de não detectarem meus hieróglifos minha “caligrafia”. Quer saber meu voto, é? Segundo a Juztissa Elaytorau da minha escola, o voto é secreto.

Depois do alvoroço, nós (eu e meus colegas antigos) comentamos o teor da votação e chagamos a um paracer: A empáfia é prima da banalidade adolescida.

Observação: Essa votação foi realizada pelos alunos.


Top 5 Clicks

  • Nenhum

Por aqui já passaram

  • 1,765,849 Pessoas

Piu, piu!

Mais